De Olho nas Atualidades – 2ª Semana de Junho

2ª Semana de Junho

Olá, concurseiros! Estamos entrando na terceira semana de junho e o nosso compilado é sobre a semana passada, com todos os principais fatos ocorridos na segunda semana de julho.

Então, vamos a eles:

Brasil

Política

De Olho nas Atualidades 7

- O presidente Michel Temer sancionou a lei que cria o Sistema Único de Segurança Pública (Susp). O texto, aprovado pela Câmara e pelo Senado, estabelece diretrizes para a atuação conjunta de diferentes órgãos de segurança federais, estaduais e municipais. No discurso, Temer disse que a criação do Susp é "um passo importantíssimo para garantir mais tranquilidade ao povo brasileiro".

- Um decreto assinado pelo presidente Temer muda a divisão dos royalties da mineração, e municípios que não produzem, mas são impactados pela exploração mineral passarão a receber recursos.

- A PGR pediu mais 60 dias para concluir o inquérito da Odebrecht que mira Temer e ministros. A investigação trata de um suposto pagamento de R$ 10 milhões da empresa ao MDB. O repasse teria sido combinado em um jantar no Palácio do Jaburu, em 2014.

- O juiz Sérgio Moro ouviu o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e o escritor Fernando Morais. Os dois depuseram como testemunhas de Lula no processo que investiga a propriedade do sítio em Atibaia.

- A PF fez buscas em duas casas e no gabinete da deputada federal Cristiane Brasil, filha de Roberto Jefferson. A operação apura fraudes no Ministério do Trabalho. O ministro Edson Fachin, do STF, proibiu que ela mantenha contato com demais investigados, entre eles o pai.

Restrição de Foro

- 1ª Turma do STF decidiu estender a restrição do foro, que já vale para deputados e senadores, para ministros, que agora só serão julgados no Supremo por crimes relacionados ao cargo.

Condução Coercitiva

De Olho nas Atualidades 7- O Supremo proibiu as conduções coercitivas, decidindo que investigados não podem ser levados para prestar depoimento contra a sua vontade. A prática já estava suspensa desde dezembro por decisão de Gilmar Mendes. O instrumento foi amplamente usado na Lava Jato, como no caso do ex-presidente Lula em 2016.



Intervenção Federal no Rio de Janeiro

- O ministro da Segurança Pública, Raul Jungman, defendeu que a intervenção federal no Rio de Janeiro continue até 2019. O decreto vale até o fim deste ano, e a prorrogação dependeria do governador que tomar posse no ano que vem.

Mundo

- FINALMENTE: o encontro sem precedentes de Trump com Kim Jong-un, inimaginável até meses atrás, terminou com otimismo e também com incertezas. O acordo assinado pelo presidente dos EUA e o ditador norte-coreano promete o fim do programa nuclear, mas é vazio em detalhes. Para analistas, a desnuclearização pode levar 10 anos e o aceno de Kim com o desarmamento pode ser uma fórmula já antiga para conseguir ajuda econômica e depois dar para trás.

- O governo de Donald Trump anunciou um pacote de US$ 50 bilhões em tarifas contra produtos chineses. Em retaliação, poucas horas depois, a China adotou tarifas sobre 659 produtos dos EUA. A cobrança começa em julho e atinge produtos agrícolas e carros.

- Em uma votação apertada e histórica, a Câmara dos Deputados da Argentina aprovou a legalização do aborto no país. O projeto autoriza a interrupção da gravidez até a 14ª semana e ainda será votado no Senado. Ainda não há uma data definida.

De Olho nas Atualidades 7

Este foi o nosso levantamento semanal, espero que tenham gostado!

Bons estudos e até a semana que vem!

Fonte: Dicas Concursos

Veja também

Deixe seu comentário